sábado, 13 de julho de 2019

Onde é que eu já vi este "Filme"?


No dia 24 de Julho de 2018, portanto, há sensivelmente um ano atrás, dava eu conta aqui neste espaço de um problema antigo, recorrente e que condiciona a época balnear na Baía de São Lourenço levando mesmo à interdição da Piscina. As infiltrações são de tal ordem que afetam a qualidade da água e colocam em causa a saúde pública.
Hoje, 13 de Julho de 2019 e por ordem da autoridade competente, a piscina de São Lourenço foi novamente interdita mas desta feita por tempo indeterminado até que seja encontrada uma solução que não coloque em causa a saúde pública. 


PS: Baía de São Lourenço / Requalificação concluída em 2013 Quase 6 Milhões de Euros Investidos.....

Verão de 2019: SEM ACESSOS para pessoas portadoras de deficiência e/ou mobilidade reduzida. 

LAMENTÁVEL E VERGONHOSO 

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Parque Habitacional da Zona do Aeroporto.


A julgar pela requalificação que foi alvo este "Quonset hut" (que foi ou será entregue à Associação Salvaterra) e pelas intervenções em duas habitações no Bairro de Santa Bárbara, diria que o estado de irrecuperabilidade das "casas de chapas" do Parque Habitacional do Aeroporto cai por terra ou perdeu sustentabilidade. 

quarta-feira, 1 de maio de 2019

Visita estatutária a Santa Maria: Comunicado do Conselho do Governo Regional dos Açores.



O Conselho de Governo, reunido a 29 de abril de 2019, na ilha de Santa Maria, deliberou:

1. Apoiar o Recolhimento de Santa Maria Madalena num valor de cerca de 24 mil euros no âmbito do trabalho desenvolvido por esta instituição enquanto entidade gestora do Pólo Local de Prevenção e Combate à Violência Doméstica, na Ilha de Santa Maria.

Este apoio visa a implementação de medidas no âmbito do III Plano de Prevenção e Combate à Violência Doméstica de Género, designadamente nas áreas da prevenção e sensibilização e da intervenção e proteção a vítimas de violência doméstica;

2. Apoiar a Santa Casa da Misericórdia de Vila do Porto para a execução de intervenções em habitações de idosos e pessoas com mobilidade reduzida com o objetivo de eliminar barreiras arquitetónicas.

Serão intervencionadas cerca de três dezenas de habitações, num investimento global de cerca de 75 mil euros. 

Esta iniciativa desenvolve-se no âmbito do Plano Bianual da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social e prevê dar um contributo importante para aumentar a qualidade de vida destes concidadãos;

3. Apoiar a Santa Casa da Misericórdia num valor de cerca de 20 mil euros para aquisição de equipamentos para as várias respostas sociais desta instituição, que desenvolve a sua ação nas áreas da infância e juventude, das pessoas idosas, das pessoas com deficiência e da família e comunidade, apoiando 182 utentes;

4. Lançar o concurso público para a empreitada de recuperação e reequipamento da Escola Básica e Secundária de Santa Maria, com o valor base de cerca de 300 mil euros, com o objetivo de melhorar as condições de funcionalidade da cozinha e copa, garantindo, assim, melhores condições na confeção e fornecimento de refeições, bem como na segurança e qualidade alimentar.

Ao nível das infraestruturas, serão substituídas as redes de esgotos, de águas, de gás e a rede elétrica.

Serão ainda implementadas as medidas de segurança contra incêndio.

Este investimento na zona da cozinha é a primeira fase de um conjunto de investimentos a realizar nesta escola de forma faseada, no valor de cerca de dois milhões de euros, que inclui a substituição da cobertura do ginásio e intervenção nos balneários, a construção de um passadiço coberto de ligação entre os blocos, a demolição da cobertura do Bloco C e a sua impermeabilização, com remodelação da sala dos professores, bem como intervenções em várias patologias detetadas no edifício escolar e nas vedações e portões exteriores.

Tendo em conta as condições atuais do ginásio, a Secretaria Regional da Educação e Cultura, em articulação com a Câmara Municipal de Vila do Porto, decidiu que os alunos passarão a utilizar as instalações do Complexo Desportivo de Vila do Porto para as aulas de Educação Física, garantindo todos os procedimentos de acompanhamento e segurança na deslocação dos alunos para aquele espaço.

5. Apoiar o Clube Naval de Santa Maria num valor de cerca de 17 mil euros para a recuperação do bote baleeiro “Santa Maria”.

Desta forma, o Governo dos Açores apoia o projeto desta instituição, na valorização de um importante património da identidade cultural açoriana, como é a cultura baleeira; 

6. Lançar o concurso público para a empreitada de requalificação e modernização do Entreposto Frigorífico de Vila do Porto, com um valor base de cerca de um milhão de euros.

Esta empreitada prevê a instalação de uma sala de processamento de pescado individualizada do restante edifício, devidamente climatizada, com zona de resíduos e acessos independentes, reformulação da rede de amoníaco, com a execução de novos isolamentos e sistema de segurança, bem como melhoramentos gerais da instalação elétrica e do posto de transformação.

Desta forma, o Governo dos Açores materializa mais um investimento público que visa melhorar consideravelmente as infraestruturas e condições de trabalho no setor das pescas em Santa Maria e nos Açores;

7. Adquirir e instalar uma plataforma elevatória no edifício da piscina da Praia de São Lourenço para apoio a pessoas com mobilidade reduzida, num investimento estimado de cerca de 30 mil euros.

Este investimento materializa um compromisso do Governo dos Açores de instalar um equipamento para facilitar o acesso a esta icónica zona balnear a pessoas com dificuldades de mobilidade.  Um compromisso de 8 ANOS e que afinal apenas custa 30 Mil euros. Quando uma solução destas, leva 8 ANOS a ser encontrada, penso que está tudo dito relativamente a responsabilidades e capacidades.
 
8. Avançar com o investimento para o reforço do manto de proteção do molhe da Marina da Vila do Porto e execução da obra de reparação e reposição da cobertura da Gare Marítima de Passageiros de Vila do Porto, através da celebração de um contrato programa plurianual entre a Região Autónoma dos Açores e a Portos dos Açores S.A., num valor de cerca de 213 mil euros. Parece que a versão "cabriolet" da Gare Marítima tem os dias contados. Não sabemos é quantos..... 

9. Lançar os procedimentos para a empreitada de reabilitação e iluminação do Miradouro e Merendário da Macela, num valor estimado de 55 mil euros.

O Miradouro da Macela tem vista para a Praia Formosa, sendo um dos mais visitados da ilha, bem como o seu Merendário, muitas vezes frequentado, sobretudo na época do Verão.

Desta forma, com os investimentos previstos e com a instalação de iluminação, melhoram-se consideravelmente as condições desta infraestrutura, permitindo que o espaço seja utilizado em condições de maior segurança e conforto, associando a isso a valorização paisagística daquela zona, algo fundamental para os residentes, bem como para os visitantes da ilha de Santa Maria.

Além da instalação da iluminação, o projeto prevê o melhoramento dos pavimentos, mesas, lavatórios e instalações sanitárias. Um investimento na vídeo vigilância não seria descabido atendendo ao historial de atos de vandalismos neste local.

10. Apoiar o investimento das obras de asfaltagem do parque de estacionamento da casa de velório da Freguesia de Santo Espírito, numa comparticipação até cerca de 24 mil euros;

11. Apoiar as obras no Centro Pastoral de Santa Maria, promovidas pela Comissão Fabriqueira da Igreja Paroquial da Matriz de Vila do Porto, num valor de cerca de 20 mil euros;

12. Avançar com a elaboração do Plano de Ação do Paleoparque de Santa Maria.

Depois da criação do Paleoparque é agora necessário elaborar este Plano, estabelecendo medidas e ações de conservação adequadas à concretização dos regimes de salvaguarda dos recursos e valores naturais do Paleoparque, conciliando essa vertente com as visitas a estas zonas.

Desta forma, serão definidas e concretizadas medidas específicas para cada uma das jazidas fósseis, em função das caraterísticas e necessidades de salvaguarda e proteção desse relevante património natural;

13. Adquirir uma embarcação pneumática para o Serviço de Ambiente de Santa Maria, num valor estimado de cerca de 30 mil euros, com o objetivo de melhorar a capacidade operativa deste serviço, melhorando o acesso aos ilhéus da Ilha, designadamente à Reserva Natural do Ilhéu da Vila, bem como para apoio e monitorização das jazidas costeiras integradas no PaleoParque da ilha;

14. Avançar com a implementação de uma rede de percursos para bicicleta e respetivas infraestruturas de apoio em Santa Maria.

Depois de um levantamento em que foi avaliado o potencial para a prática de cada uma das vertentes e disciplinas do ciclismo em toda a Região, considerando todas as questões logísticas, locais de apoio ao praticante, capacidade para instalação de Centros de BTT, definição de zonas privilegiadas para implementação de percursos tendo em conta estradas/caminhos/trilhos públicos disponíveis, análise das áreas protegidas e possibilidade de implementação de percursos, garantindo a sustentabilidade e defesa de zonas sensíveis, o Governo dos Açores avança agora para a implementação desta rede, iniciando a sua implementação pela ilha de Santa Maria.

Serão criados percursos, com infraestruturas de apoio e instalação de sinalética, e criado um regime jurídico próprio.

Esta implementação será desenvolvida em parceria com as associações locais, bem como com as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia.

Em 2019 está prevista uma dotação de 150 mil euros para este projeto. 

15. Avançar com um procedimento para controlo de espécies exóticas e invasoras no Barreiro da Faneca, num investimento global estimado de cerca de 70 mil euros.

Este procedimento insere-se no plano de ação para a conservação da Estrelinha de Santa Maria e incidirá, sobretudo, no combate ao designado ‘Pica-Rato’ e diversas gramíneas.

A sua execução e calendarização está dependente da articulação com os proprietários de terrenos em zonas que têm se der intervencionadas;

16. Apoiar o 35.º Festival Maré de Agosto no valor de 50 mil euros.

Este icónico festival de Santa Maria e dos Açores decorre na Praia Formosa entre 22 e 24 de agosto.  

17. Apoiar o Clube Asas do Atlântico no valor de 12.500 euros para a realização do 38.º Rally Além-Mar Santa Maria, a decorrer a 9 e 10 de agosto;

18. Apoiar a Associação PRSpinning no valor de 10 mil euros para a realização do evento de BTT Azores Challenge MTB, que decorrerá em Santa Maria e em São Miguel.

O Governo dos Açores reforça, este ano, o apoio a este evento para que possa decorrer também em Santa Maria, no dia 28 de setembro.

O Governo dos Açores apoia, desta forma, vários eventos em Santa Maria no ano de 2019, contribuindo assim para a dinamização económica desta ilha, para a qualidade de vida e envolvimento dos residentes, bem como para o reforço da sua promoção externa e captação de mais fluxos turísticos participantes nos eventos apoiados; 

19. Avançar com os procedimentos necessários para a elaboração dos projetos para as obras de beneficiação de três caminhos, designadamente:

- Caminho Florestal Vermelho, na freguesia de Santo Espírito, com uma extensão de 860 metros, consistindo a beneficiação na regularização do piso e macadamização da faixa de rodagem, num investimento de cerca de 15 mil euros que irá beneficiar uma área de 15 hectares de pastagem e 19 hectares de floresta;

- Caminho do Serrado Grande, na freguesia de Santo Espírito, com uma extensão de 504 metros, consistindo a beneficiação no alargamento da faixa de rodagem, correção de uma curva e macadamização do piso, investimento de cerca de 12.500 euros, que irá beneficiar uma área de pastagem de 15 hectares;

- Caminho Rural do Tagarete, na freguesia de Santa Bárbara, com uma extensão de 1.154 metros, consistindo a beneficiação na pavimentação com massas asfálticas a frio e construção de valeta numa extensão de cerca de 700 metros, bem como na construção de três aquedutos, num investimento de cerca de 120 mil euros;

Deste modo, promove-se a melhoria das condições de segurança e de trabalho dos agricultores marienses, facilitando o acesso às suas explorações;

20. Apoiar a Associação Agrícola de Santa Maria num montante de cerca de 70 mil euros, para apoio no desenvolvimento de estratégias de produção adaptadas às necessidades dos mercados e na implementação e acompanhamento junto dos produtores dos métodos de qualidade, como a IGP e a Produção Integrada e a sua valorização.

Este apoio permitirá reforçar o rendimento dos produtores marienses, através do contributo que constitui para a melhor valorização das suas produções, concorrendo para o fortalecimento do setor agropecuário nesta ilha e, consequentemente, na Região;

21. Apoiar a Associação dos Criadores de Ovinos e Caprinos da Ilha de Santa Maria – ARCOA, num montante de cerca de 50 mil euros, para a dinamização da criação de ovinos e caprinos na ilha, através da prestação de apoio aos seus associados e no desenvolvimento de ações de promoção e comercialização da carne de ovino fora da ilha.

Esta medida insere-se na política de diversificação da produção agrícola na Região, contribuindo para a promoção da pecuária ovina e caprina em Santa Maria;

22. Promover a realização de um curso de formação profissional em Qualidade do Leite de Ovelha e Ordenha Mecânica e em Produção de Queijo Artesanal de Ovelha, com a duração de 25 horas cada, tendo em vista a habilitação de 18 produtores marienses na produção de leite de ovelha com qualidade e na aplicação de boas práticas na produção de queijo artesanal.

Deste modo, promove-se a produção de leite e queijo de ovelha de qualidade, incentivando a diversificação agrícola na ilha de Santa Maria e contribuindo para o aumento do rendimento dos produtores;

23. Promover a realização de um curso de formação profissional em Boas Práticas na Viticultura, com uma duração de 82 horas, tendo em vista a habilitação de 18 produtores marienses com conhecimento teórico e prático para programar, organizar e orientar as operações culturais da vinha, com aplicação dos princípios da Produção Integrada.

Deste modo, promove-se a vitivinicultura em Santa Maria, aproveitando o potencial existente na ilha para esta prática agrícola e a nova dinâmica que este setor vem apresentando na Região, bem como a apetência dos consumidores pelos vinhos oriundos dos Açores;

24. Instalar no Centro de Inseminação Artificial do Serviço de Desenvolvimento Agrário da Ilha de Santa Maria, a secção de melhoramento animal e reprodução de pequenos ruminantes, relacionando os cruzamentos e as épocas de parto melhor adequadas às condições edafoclimáticas e de comercialização de ovinos e caprinos;

25. Avançar com a revisão do Programa VITIS, de forma a adequá-lo às especificidades da paisagem vitivinícola de São Lourenço e da Maia.

Com esta medida pretende-se criar um regime específico que incentive a reconversão da produção vitivinícola destas zonas, contribuindo para a valorização da paisagem, para a contenção dos quartéis de vinha em socalco e, consequentemente, para o desenvolvimento económico da ilha de Santa Maria;

26. Apoiar a participação dos alunos da Escola Básica e Secundária Bento Rodrigues em todas as fases do programa Parlamento dos Jovens, que se inicia em outubro e que culminará com a Sessão Regional, a decorrer na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na Horta, no primeiro trimestre de 2020, com a participação da equipa vencedora da fase de escola e respetivos docentes acompanhantes.

27. Apoiar a Escola Básica e Secundária Bento Rodrigues a participar no projeto Educação Empreendedora: o Caminho do Sucesso, com início em setembro, garantindo aos docentes a formação inicial, três visitas de acompanhamento pela equipa responsável pelo projeto e a participação no Concurso Regional “IdeiAçores” para as equipas vencedoras da Fase de Escola;

28. Apoiar a participação de dois dirigentes por associação de juventude local no Encontro Regional de Associações de Juventude no último trimestre de 2019, encontro que reunirá todas as associações juvenis da Região para troca de experiências, partilha de ideias e projetos e desenvolvimento de ações formativas no âmbito da atividade dirigente deste tipo de organizações;

29. Realizar as comemorações regionais do Dia da Europa na ilha de Santa Maria, a 9 de maio.

Nestas comemorações serão desenvolvidas um conjunto de iniciativas que valorizam a importância da cidadania europeia e da participação cívica na construção do projeto europeu, envolvendo as forças vivas locais, como são as entidades sociais, culturais, juvenis, educativas e desportivas desta ilha;

30. Além destas deliberações, o Conselho de Governo, apreciou ainda o andamento de um conjunto de processos e investimentos em curso na ilha de Santa Maria, nomeadamente:

- As obras em curso de reabilitação do 'Cinema do Aeroporto' de Santa Maria, um investimento de cerca de 4,5 milhões de euros, que está a decorrer a bom ritmo e que garantirá a requalificação de um espaço icónico desta ilha, criando uma infraestrutura pública para fruição cultural de grande nível;

- As obras em curso do novo Centro de Desenvolvimento e Inovação Empresarial de Santa Maria, num investimento global de cerca de 2,2 milhões de euros, nas antigas oficinas gerais do aeroporto de Santa Maria.

Esta nova infraestrutura terá um espaço museológico, bem como várias valências na incubação de empresas e na promoção e dinamização do empreendedorismo, das indústrias criativas, da área tecnológica e digital, bem como na promoção de eventos e feiras empresariais;

- As obras em curso para a instalação de uma nova antena no Monte das Flores, num investimento estimado de cerca de 680 mil euros.

Esta infraestrutura permitirá a diversificação dos serviços da ESA - Agência Espacial Europeia e a consequente criação de mais postos de trabalho.

Depois da conclusão destas obras, segue-se a instalação da paraboloide de 15 metros;

- As obras em curso de beneficiação e ampliação do complexo de água existente no lugar do Cardal, com a construção de um reservatório de 250 m3, num investimento de mais de 40 mil euros.

Com o prolongamento da rede de abastecimento de água no Caminho do Facho, na freguesia de Almagreira, com a construção de um açude, de mais um reservatório e de um ponto de abastecimento água na Ribeira do Aveiro e com as obras do Poço Grande, a ilha ficará com uma capacidade de armazenamento de água para a agricultura de mais de 2.000 m3;

- As obras em curso da empreitada de execução de passeios, estacionamento e reabilitação de muros, no centro de Freguesia de São Pedro, num investimento de cerca de 30 mil euros;

- As obras em curso de reabilitação do Merendário da Maia, espaço de lazer que confronta com a orla marítima, num investimento de cerca de 30 mil euros.

Está a ser feito um muro de proteção, a reabilitação do pavimento, implementadas novas mesas com guarda-sóis e colocação de um ponto de água;

terça-feira, 2 de abril de 2019

"Meias são para as pernas"

"Estrada de Cima" (Asfalto) - Foi retificado o piso.


"Estrada de Cima" (Terra)

É assim que se vai "atamancando" os problemas existentes nas vias de circulação para o lados do Aeroporto. Neste caso, na chamada "estrada de cima". Aliás, em 1/2 estrada. Porque ao que parece, a extensão de estrada não asfaltada e que abrange a Urbanização Ilha do Sol ficou, uma vez mais, para trás.
Se calhar também foi devido ao PO2020, que talvez não permita a realização de uma intervenção como a que foi levada a efeito nas ruas Angra do Heroísmo e Praia da Vitória.  


(clicar na imagem para aumentar)

Para que não restem dúvidas: Continua tudo como até aqui !!


segunda-feira, 1 de abril de 2019

Aeroporto de Santa Maria: A prática do “plane spotting” ganha novo fôlego.

Na sequência do que vem sendo a aposta de várias congéneres europeias (e não só), a VINCI Airports, na qualidade de empresa gestora de quatro aeroportos na Região Autónoma dos Açores, vai criar zonas específicas para a prática do Spotting.
Em Santa Maria, esta medida será implementada muito em breve pois, sabe-se, o local escolhido necessita de uma urgente intervenção. Isto atendendo ao seu atual estado de conservação e que em nada prestigia aquela infraestrutura aeroportuária. Trata-se da zona onde estava instalada a antiga estação de instrumentos de meteorologia e que se prepara agora para ter outra utilidade.
De referir ainda que esta medida, é vista pela administração da VINCI Airports, como uma oportunidade de criar/fortalecer laços de estreita colaboração e/ou cooperação com a comunidade spotter principalmente no que respeita à promoção do Aeroporto de Santa Maria. Sem dúvida uma excelente notícia e que só peca por tardia. 

terça-feira, 19 de março de 2019

Nós por cá.....



Os acidentes registados em 2014, ambos na Ilha do Pico, despoletaram uma onda de contestação em torno das condições de segurança nos portos dos Açores em particular, no que respeita ao estado em que se encontravam vários cabeços de amarração.
Em 2017, o Governo Regional dos Açores anunciou (e muito bem) a celebração de um contrato com a Portos dos Açores, no valor de 1.2 Milhões de Euros para renovação/instalação destas estruturas em várias ilhas do arquipélago, onde se incluía Santa Maria.
E em Santa Maria, como noutras ilhas dos Açores, não existe apenas um porto. O principal. Existem outros que, pese embora a menor utilização por particulares e pescadores, continuam a ser considerados como opções fiáveis para as respectivas embarcações.
Num destes dias, dei comigo no pequeno porto dos Anjos a olhar para estas estruturas. Não sou um entendido na matéria para dizer se estão, ou não, em condições de continuarem a ser utilizadas, mas é uma dúvida pertinente. No que toca a atribuição de responsabilidades em caso de incidente ou acidente, será curioso, por um lado (e triste por outro) perceber a quem serão atribuídas responsabilidades. Se à Direção Regional dos Assuntos do Mar ou à entidade  local a quem foi delegada a sua gestão e que não é a Portos dos Açores.

quarta-feira, 13 de março de 2019

Ainda se lembram?

Produto afamado, com enorme procura e que, entre outros, serviu de porta estandarte a quando do projeto Agromariense Coop.
Como diriam os putos de hoje em dia, a Compota de Meloa não é vista no mercado há bué de tempo.
Pergunto. Sairá mais em conta ir deixar, sabe-se lá onde, meloa que não tem o tamanho necessário para exportação ou terá sido mera opção deixar de a produzir? 

segunda-feira, 11 de março de 2019

Como as pilhas duracell......

Caminho Ribeira de São Domingos (Agromariense Coop)

Caminho Velho do Cais

Moinho da Carreira (Foto 2 e 3 - Março 2019)

É com profundo desapontamento e estupefação que constato, assuntos como a reabilitação do Caminho Velho do Cais e Ribeira de São Domingos ou, imagine-se, o Moinho da Carreira, ainda continuarem a originar discussão durante as sessões da Assembleia Municipal de Vila do Porto. O que até nem seria de estranhar mas caso o debate não assentasse, básica e fundamentalmente, em reivindicações que remontam 
aos primórdios da governação social democrata à frente da autarquia mariense. 
No caso particular do caminho da Ribeira de São Domingos, nota-se que desde abril de 2014, altura em que estaria a decorrer um levantamento topográfico a fim de ser elaborado um projeto de reabilitação, pouco ou nada mais de relevante foi divulgado relativamente às intenções do município. A rubrica afeta a esta intervenção consta em vários orçamentos mas alterações de fundo, e para pior, só mesmo a nível das condições de circulação.
Já no que respeita ao Caminho Velho do Cais e Moinho da Carreira, entre notas e informações disponíveis (ainda) online na página do município, não deixa de ser curiosa a leitura da compilação que abaixo partilho. 


Caminho Velho do Cais

Setembro de 2010
A autarquia concordava que o caminho velho do cais era muito frequentado, não apresentava segurança inclusivamente devido ao piso e que era intenção intervir de forma a melhorar as condições de circulação.

Dezembro de 2012
Estava prevista uma verba para ser utilizada na reabilitação do Caminho Velho do Cais. Algo que não veio a acontecer e no orçamento para 2013 nota-se a ausência desta rubrica.
A autarquia informa que a intervenção ainda não foi possível e que uma proposta da Junta de Freguesia de Vila do Porto estaria a ser analisada.

Abril de 2014
A intervenção estaria a cargo da arquiteta estagiária da autarquia e que, segundo o previsto, o caminho iria ser estreitado em algumas zonas e o chão revestido com pedra de calhau.

Abril de 2015
Pelo presidente da Junta de Freguesia de Vila do porto é tornada pública a informação que a obra ainda não teria começado por falta de mão de obra especializada (recuperação dos muros em pedra seca).

Junho de 2015
Questionada novamente relativamente ao assunto, a autarquia informa que afinal a reabilitação do caminho estaria a ser analisada devido à sua complexidade.

Fevereiro de 2016
Nova atualização. Desta feita que a reabilitação do caminho fará parte das obras previstas para a regeneração urbana.

Abril de 2016
Atendendo à demora do PO2020, a autarquia teria decidido candidatar-se ao PIRUS (Plano Integrado de Regeneração Urbana Sustentável) com alguns projetos entre eles o da reabilitação do caminho velho do cais.

Abril de 2017
Exatamente um ano depois. A dúvida se o caminho velho do cais seria reabilitado antes do verão é dissipada com a autarquia a informar que a intervenção já estaria orçamentada e teria inicio em breve.

Setembro de 2018
Novo mandado. As mesmas (e velhas) questões. 
A autarquia informa que o processo está sendo adiado e que será necessário fazer um projeto.

Dezembro de 2018
Dois meses depois fica-se a saber que o projeto será efetuado e, se possível, candidatável a algum eixo, em 2019.

Fevereiro de 2019 
Para quando a reabilitação do Caminho Velho do Cais?
Sensivelmente uma década depois, quase a meio do terceiro e último mandato à frente dos destinos do município, percebe-se claramente que faltam respostas convincentes para justificar alguns atrasos ou esquecimentos. Este é um exemplo claríssimo e sobre ele, a autarquia disse haver a necessidade de ser feito um projeto para posterior candidatura ao PIRUS.
Portanto, desde Abril de 2016 que a autarquia pensa em candidatar esta obra ao PIRUS mas até à data......... "Niente" !!


Moinho da Carreira


Fevereiro de 2012
São pedidos esclarecimentos sobre a situação do moinho. A autarquia informa que a candidatura ao PRORURAL para reabilitação do imóvel avançaria dentro de dias.

Abril de 2013
É solicitada informação sobre a situação do Moinho. A autarquia diz que o projeto estava no arquiteto e que este modelo ficaria para a recuperação futura de outros moinhos. Ficaria concluído em poucos dias.

Abril de 2014
O projeto de requalificação estava concluído e foi elaborado por um arquiteto local. Aguardava apenas pela aprovação do PRORURAL.

Fevereiro de 2015
Era dada a informação que a obra de reabilitação decorria a bom ritmo e que, o empreiteiro teria já agendado para 21 de Março, a instalação da cúpula.
Neste ano, é concluída a obra.  

Fevereiro de 2016
À pergunta de qual seria a estratégia para que o moinho pudesse constar dos locais a visitar por quem chega à ilha, por exemplo, com a implementação de um horário fixo, foi respondido que ainda faltava fazer o teste final ao equipamento.
E que posteriormente seria entregue a sua gestão/concessão provavelmente à Junta de Freguesia de Almagreira que o promoveria através de visitas e eventos.

Setembro de 2016
O Moinho ainda não tinha sido entregue. No entanto, pelo interesse que desperta, já tinha sido visitado por alguns operadores turísticos.
Continuava a esperar-se pelo acabamento na engrenagem a fim de ser realizado o teste final e efetuar a concessão.

Setembro de 2017
Na sequência da informação prestada relativamente à atividade do município, na última assembleia do mandato 2013/17, o presidente da câmara é confrontado com a pergunta se, em caso de reeleição, o moinho da carreira (e a casa das covas entretanto adquirida posteriormente), teria outro tipo de visitação que não o constatado até então e que passava por solicitar a chave à Junta de Freguesia de Almagreira de forma a poder dar a conhecer o único moinho restaurado da Ilha. 
Em resposta, o presidente reitera a intenção futura de promover e integrar ambos os imóveis num roteiro.  

Novembro de 2017
Não houve desenvolvimentos. Ia ser levada a cabo uma pintura ao edifício.
O equipamento em falta (moitões) apenas teriam chegado há poucas semanas e que, em breve, a autarquia iria reunir com a Junta de Freguesia de Almagreira para delinear qual a melhor forma de o promover enquanto ponto turístico a visitar.

Abril de 2018
A autarquia é confrontada com questões relativas a alguns sinais visíveis de degradação e, por este motivo, se estariam previstos trabalhos de manutenção.
Se, em termos de funcionamento, o moinho estaria a ser como ponto turístico visitado uma vez que é o único moinho restaurado na Ilha.
Pela voz do presidente do município, fica a saber-se que tem havido manutenção do edifício/espaço envolvente. Que houve o azar do vento forte ter partido duas das pás do moinho mas que já estaria a decorrer o processo de recuperação. Quanto ao resto, ou não respondeu ou está omisso na ata da sessão. 

Setembro de 2018
É solicitado um pedido de esclarecimento relativo à limpeza do interior e espaço exterior e perguntado para quando estaria prevista a recolocação das pás bem como em quem recai a responsabilidade pós obra.
Fica-se a saber que as pás foram retiradas por motivo de segurança. Que os pombos são uma ameaça para a madeira e que a autarquia estaria a tentar minimizar o problema. As pás iriam ser recolocadas em breve pelo empreiteiro.

Fevereiro de 2019
- Qual a situação atual do Moinho da Carreira?
A degradação crescente a que está sujeito o imóvel, em particular a cúpula de madeira, e a demora em coloca-lo funcional, motiva uma vez mais que a questão se levante. 
Em resposta, a autarquia informa que teria sido adquirido um produto de alta qualidade para ser aplicado mas que aguardava a disponibilidade do empreiteiro. 

quinta-feira, 7 de março de 2019

Carnaval 2019: Parte IV

Foi sem atrasos ou cancelamentos devido a greves que as danças de carnaval encerraram o seu programa de atuações. A última, foi em Vila do Porto e onde contaram com uma enorme plateia. OBRIGADO pela vossa dedicação.

quarta-feira, 6 de março de 2019

SPER - Um ano depois....



À data de 26 de Fevereiro, fez um ano que o Governo Regional dos Açores anunciou uma reforma no sector empresarial da região. Das medidas anunciadas na altura, encontrava-se a extinção e alienação de capital de umas empresas e/ou a cedência de X % de quotas em outras onde tinha participação indirecta. 
Um ano depois, em alguns casos, consegue-se ter a percepção que pouco ou nada mudou. Senão vejamos. Na saúde, foi extinta a Saudaçor mas continuamos "coxos" pois o SRS vai de mal a pior.
Nos transportes, além da extinção da SATA SGPS e a cedência dos 14% que a Sata Air Açores detinha na Associação de Turismo dos Açores, assistiu-se ao fracasso da alienação dos 49% do capital da Azores Airlines. A coisa não está fácil ou, como suspeito, alguém não a quer ver direita. 
No que toca à Portos dos Açores, havia a intenção de alienar a sua participação de 100 por cento na Naval Canal, Lda, ceder a sua quota de 25 por cento na AGESPI - Associação de Gestão Parque Industrial da Terceira e ainda extinguir a sua participação na Associação Portas do Mar.
Desconheço qual terá sido o nível de execução mas, a ter em conta a versão "cabriolet" em que se encontra a Gare do Cais Ferrie em Vila do Porto e ao tempo que está, arriscaria dizer que os desígnios do GRA em matéria de alienações, foram muito além do previsto.
Na EDA, segundo o mesmo plano de intenções anunciado há um ano atrás, a ideia passava por alienar a sua participação de 62% na NORMA, SA, a de 60% na Controlauto Açores, Lda, e ainda as participações na NOS Açores, Oni Açores e ENTA. Só é pena não se ter notado esta poupança na fatura que recebemos ao final de cada mês!! 
Para a Ilhas de Valor SA, que se divide entre a incessante procura do "hole in one" sagrado e a tentativa de ganhar um óscar no mercado imobiliário, foi anunciada uma mega reestruturação. A alienação de 60% da sua participação na Pousada da Juventude da Caldeira do Santo Cristo.
Como acionista direto, o GRA decidia ainda, alienar a sua participação de 51% nas Pousadas da Juventude, 22% na ENTA - Escola de Novas Tecnologias dos Açores e ceder os 18% que detinha na ATA - Associação de Turismo dos Açores. 
O estado crítico (mas bem mascarado) em que se encontram as contas públicas regionais obrigaram ainda a Lotaçor, a extinguir a Empresa Espada Pescas, Lda. e a reduzir a sua participação na empresa Santa Catarina - Indústria Conserveira.
Em suma, foi um autêntico missal aquele que o Governo dos Açores preconizou  para o sector público empresarial da região (SPER) mas, um ano depois, percebe-se que este refletiu apenas (mais) uma operação de charme que em pouco ou nada foi benéfico para os contribuintes.   

segunda-feira, 4 de março de 2019

Governo abre concurso para 680 lugares por tempo indeterminado e 254 a termo certo.


São 32 os lugares para a Administração Pública em Santa Maria

O Governo dos Açores, através da Vice-presidência, revelou que, aprovou, “na sequência do esforço contínuo desenvolvido para reforçar, rejuvenescer e qualificar a Administração Pública Regional, o mapa anual global consolidado de recrutamento para os serviços e organismos da Administração Regional em 2019.

Os concursos vão permitir o preenchimento de 954 lugares, correspondendo à satisfação de necessidades permanentes dos diversos serviços e organismos regionais, segundo revela uma nota publicada no GaCS.

Um despacho publicado em Jornal Oficial revela o número de lugares, por carreira, natureza do vínculo de emprego público e respectivo departamento regional, nos termos da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. Nesse sentido, dos 954 novos concursos para a Administração Pública Regional, 680 correspondem a contratos de trabalho por tempo indeterminado, sendo que 254 são a termo certo, considerando as necessidades de substituição temporária, entre outras situações.
Em termos de carreiras, as novas vagas são destinadas a 377 assistentes operacionais, 240 técnicos superiores, 165 assistentes técnicos, 69 enfermeiros, 26 médicos, 25 técnicos de informática e 15 terapeutas da fala, entre outras.
Para além da renovação e melhoria dos procedimentos de admissão de funcionários para a Administração Pública direta e indireta, o Governo dos Açores está também a promover e a reforçar a estabilidade laboral nos organismos públicos, destacando-se as áreas da Educação, Saúde e Agricultura.
Assim, entre as 954 vagas, 303 são no sector da Educação, sendo 168 para assistentes operacionais, 55 para técnicos superiores, 45 para assistentes técnicos e 17 para técnico de informática, entre outras.
Na Saúde, estão a concurso 197 vagas nas Unidades de Saúde de Ilha dos Açores, correspondentes, entre outras, a 69 vagas para enfermeiros, 26 para médicos, 52 para assistentes operacionais, 15 para técnicos superiores, 20 para assistentes técnicos e oito para fisioterapeutas.
Para o sector agrícola estão destinados 155 novos concursos, essencialmente para 87 assistentes operacionais, 37 para técnicos superiores e 29 para a carreira de assistente técnico.
No que se refere a assistentes operacionais, carreira transversal a todos os departamentos da Administração Pública, o Executivo vai contratar 220 só este ano, ultrapassando o compromisso assumido, tendo em vista a contratação, até ao final da legislatura, de 200 assistentes operacionais para os sectores da Educação e da Saúde.
Os 954 concursos agora abertos na Administração Pública, abrangendo todas as ilhas do arquipélago, seguem-se aos 773 que foram lançados no último ano.  Com mais este procedimento concursal, o Governo dos Açores empenha-se pela existência de uma administração pública rejuvenescida, qualificada e eficiente, ao serviço dos cidadãos e das empresas, sendo também uma condição para o crescimento e para a competitividade da Região, refere a mesma nota do GaCS. 

Para ver o mapa global de recrutamento, clicar AQUI

Texto: Correio dos Açores
Imagem 2: RA

Carnaval 2019: Parte III

Centro da Freguesia de Santo Espírito

Já pensaram o que teriam sido as danças e as brincadeiras de carnaval se esta malta também andasse a reivindicar o que quer que fosse à sua entidade patronal? 

domingo, 3 de março de 2019

Carnaval 2019: Parte II




Foi este o desfile de carnaval em Santa Maria. A iniciativa coube a um divertido grupo de amigos que deram assim um colorido diferente à principal artéria de Vila do Porto. A mesma que há várias décadas se veste a preceito para celebrar a data e que, só não padeceu de uma completa nudez, porque uns professores/alunos diferentes substituíram os que optaram despir-se da responsabilidade que era fazer cumprir a tradição. 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Assembleia Municipal de Vila do Porto: Será 2019 diferente dos anos anteriores?

Para uns, há o simples inconveniente de ter que dar a cara. Marcar uma posição pública ou levantar uma questão pertinente parece ser algo comparável ao ato de roubar ou matar. A opção é, desde logo, ficar na sua e contribuir assim para uma AM pouco participada.   
Para uma outra faixa da sociedade, a impossibilidade de assumir o perfil falso das redes sociais ou utilizar o e-mail fictício diga-se, para fins pouco ou nada recomendáveis numa democracia moderna, é razão suficiente para que a coisa perca a piada. Então, nada como ficar a aguardar pelo eco dos acontecimentos.
A sala D. Carlos Filipe Ximenes Belo, na Biblioteca Municipal, recebe amanhã a primeira sessão ordinária e eu ficaria particularmente satisfeito se o ano de 2019 fosse fértil em matéria de participação dos munícipes na Assembleia Municipal de Vila do Porto.   

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Pavilhão da EBS Santa Maria apenas para servir o desporto no verão?



Não faz muito tempo, ouviu-se sua excelência o Secretário Regional da Educação e Cultura, desmentir que exista diminuição de verbas no Plano e Orçamento dos Açores para o Desporto em 2019. Afirmou inclusivamente que o Plano para 2019 é superior ao plano de 2018 e que estava convencido que o desporto, nos Açores, é um direito para todos. 
Certamente "apertado" pelo regedor da mais pequena ilha do arquipélago, Avelino Meneses rejeitou ainda que o Governo Regional dos Açores fuja das responsabilidades que tem na manutenção das instalações desportivas da Ilha do Corvo.
Bem, eu não sei, não posso e nem quero levantar falsas questões relativamente às preocupações dos Corvinos mas, se lá, tal como cá, as condições do Pavilhão da Escola Básica e Secundária forem as que se nota em Santa Maria, arriscaria a dizer que o senhor secretário não sabe em que terra anda e que os alunos, por este andar, serão obrigados brevemente a praticar apenas duas modalidades. ......