domingo, 29 de maio de 2016

Informação útil: Carta de Condução por Pontos a partir de 1 junho 2016.


Clicar na imagem para aumentar


O novo sistema da Carta por Pontos entra em vigor no dia 1 de junho. É um sistema mais simples, transparente e que visa promover a adoção de comportamentos mais seguros e responsáveis na condução.

A Autoridade Tributária e Aduaneira em colaboração com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária procedeu à divulgação, por correio eletrónico, de um folheto informativo sobre o novo sistema da Carta por Pontos.   


1. “CARTA POR PONTOS”. O QUE É?

Ao título de condução de cada condutor serão atribuídos 12 (doze) pontos a partir de 1 de junho de 2016.
Por cada contraordenação grave ou muito grave, ou crime rodoviário, serão subtraídos pontos.
Se não praticar contraordenações graves, muito graves ou crimes rodoviários, podem ser atribuídos pontos.
Se praticar uma contraordenação grave ou muito grave, para além da coima e eventual inibição temporária de conduzir, também perderá pontos.

2. TENHO QUE SUBSTITUIR A CARTA DE CONDUÇÃO?

Não. O novo sistema de carta por pontos não implica nenhuma substituição de documentos. Os pontos são subtraídos e adicionados informaticamente.

3. AS INFRAÇÕES PRATICADAS ANTES DE 1 DE JUNHO DE 2016 TIRAM PONTOS?

Não. Qualquer contraordenação grave ou muito grave, ou crime rodoviário, praticado antes da entrada em vigor deste sistema, será punido ao abrigo do regime anterior e não terá como consequência a subtração de pontos.

4. QUANDO É QUE SÃO RETIRADOS PONTOS APÓS PRATICAR A INFRAÇÃO?

Os pontos só são subtraídos na data da definitividade da decisão administrativa ou do trânsito em julgado da sentença.

5. QUANTOS PONTOS SÃO RETIRADOS EM CONTRAORDENAÇÕES GRAVES (artigo 145º do CÓDIGO DA ESTRADA)?

Aquando da prática de uma contraordenação grave, na sua generalidade, são retirados 2 (dois) pontos.
São retirados 3 (três) pontos nas seguintes contraordenações graves:
- Condução sob influência de álcool, com uma taxa de alcoolemia igual ou superior a 0,5g/l e inferior a 0,8g/l ou igual ou superior a 0,2 g/l e inferior a 0,5 g/l quando respeite a condutor em regime probatório, condutor de veículo de socorro ou de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóvel pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas;
- Excesso de velocidade superior a 20 km/h (motociclo ou automóvel ligeiro) ou superior a 10 km/h (outro veículo a motor) em zonas de coexistência;
- Ultrapassagem efetuada imediatamente antes e nas passagens assinaladas para a travessia de peões ou velocípedes.

6. QUANTOS PONTOS SÃO RETIRADOS EM CONTRAORDENAÇÕES MUITO GRAVES (artigo 146º do CÓDIGO DA ESTRADA)?

Aquando da prática de uma contraordenação muito grave, na sua generalidade, são retirados 4 (quatro) pontos.
São retirados 5 (cinco) pontos nas seguintes contraordenações muito graves:
- Condução sob influência de álcool, com uma taxa de alcoolemia igual ou superior a 0,8g/l e inferior a 1,2g/l ou igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 1,2 g/l quando respeite a condutor em regime probatório, condutor de veículo de socorro ou de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóveis pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas, bem como quando o condutor for considerado influenciado pelo álcool em relatório médico;
- Condução sob influência de substâncias psicotrópicas;
- Excesso de velocidade superior a 40 km/h (motociclo ou automóvel ligeiro) ou superior a 20 km/h (outro veículo a motor) em zonas de coexistência.

7. QUANTOS PONTOS SÃO RETIRADOS POR CRIME RODOVIÁRIO?

São retirados 6 (seis) pontos.

8. QUAL O MÁXIMO DE PONTOS QUE PODEM SER RETIRADOS SE PRATICAR VÁRIAS CONTRAORDENAÇÕES EM SIMULTÂNEO?

Quando praticadas várias contraordenações graves e muito graves no mesmo dia, são retirados no limite 6 (seis) pontos. No entanto, se entre as condenações por contraordenação grave ou muito grave estiver em causa a condução sob influência do álcool ou sob influência de substâncias psicotrópicas, são ainda retirados os pontos respetivos (3, 5 ou 6 – consoante seja grave, muito grave ou crime).

9. COM O REGIME DE CARTA POR PONTOS TAMBÉM TENHO QUE ENTREGAR A CARTA DE CONDUÇÃO PARA CUMPRIR A INIBIÇÃO DE CONDUZIR?

Sim, os pressupostos da determinação da medida da sanção acessória mantêm-se. Após a prática de contraordenação grave ou muito grave, o processo corre os seus trâmites legais, e no caso de haver decisão condenatória de sanção acessória de inibição temporária de conduzir, o condutor deverá entregar o seu título de condução para cumprimento da mesma.

10. POSSO GANHAR PONTOS? COMO?

Sim. No final de cada período de 3 (três) anos, sem que sejam praticadas contraordenações graves ou muito graves, ou crimes de natureza rodoviária, são atribuídos 3 (três) pontos ao condutor, não podendo ser ultrapassado o limite de 15 (quinze) pontos.
A cada período da revalidação do título de condução, sem que sejam praticados crimes rodoviários, e o condutor tenha frequentado voluntariamente ação de formação de segurança rodoviária, é atribuído um ponto ao condutor não podendo ser ultrapassado o limite de 16 (dezasseis) pontos. Este limite é aplicado apenas em situações em tenham sido atribuídos pontos conforme previsto no parágrafo anterior, caso contrário mantém-se o limite máximo de 15 (quinze) pontos.

11. OS 3 ANOS, PARA EFEITOS DE ADIÇÃO DE PONTOS, SÃO CONTADOS A PARTIR DA DATA DA ÚLTIMA INFRAÇÃO OU DA DATA DA DEFINITIVIDADE DA DECISÃO ADMINISTRATIVA SOBRE ESTA?

Os 3 (três) anos são contados a partir da data de definitividade da decisão administrativa ou do trânsito em julgado da sentença da última infração praticada (contraordenação grave ou muito grave, ou crime rodoviário).

12. CASO NÃO PRATIQUE NENHUMA INFRAÇÃO, SÃO ATRIBUIDOS 3 PONTOS A 1 DE JUNHO DE 2019?

Sim, até um limite máximo de 15 (quinze) pontos.

13. ESTOU NO REGIME PROBATÓRIO, O QUE PODE ACONTECER À MINHA CARTA DE CONDUÇÃO SE PRATICAR UMA INFRAÇÃO?

Os trâmites legais, em vigor, mantêm-se. Ou seja, no caso da prática de duas contraordenações graves ou uma muito grave, o título de condução é cancelado.

14. SE FICAR SEM PONTOS, O QUE ACONTECE AO TÍTULO DE CONDUÇÃO?

No caso de se encontrarem subtraídos todos os pontos, é ordenada a cassação do título de condução em processo autónomo, isto é, fica sem carta de condução.
Efetivada a cassação do título de condução, fica impedido de obter novo título durante o período de 2 (dois) anos. Após este período poderá tirar novamente a carta, suportando os respetivos custos.

15. TENHO 5 OU 4 PONTOS. E AGORA?

Agora, será obrigado a frequentar uma ação de formação de Segurança Rodoviária. A falta não justificada implica a cassação do título de condução, isto é, fica sem carta de condução e terá que aguardar 2 (dois) anos para a tirar novamente, suportando os respetivos custos.

16. TENHO 3, 2 ou 1 PONTOS. E AGORA?

Agora, será obrigado a realizar a prova teórica do exame de condução. A falta não justificada ou a reprovação na prova implica a cassação do título de condução, isto é, fica sem carta de condução e terá que aguardar 2 (dois) anos para a tirar novamente, suportando os respetivos custos.

17. COMO É QUE SEI QUANTOS PONTOS TENHO?

Para saber os pontos que tem, deverá registar-se no Portal de Contraordenações Rodoviárias (https://portalcontraordenacoes.ansr.pt/)

Nota: Esta informação não dispensa a consulta do Código da Estrada.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Saúde e Turismo: Os nossos calcanhares de aquiles.




Falar sobre estes dois assuntos ou tomar, diariamente, conta de uma realidade que passa completamente ao lado da que me querem impingir, deprime, revolta e deixa-me cada vez com mais repugna por uma classe política (e não só) que prima por um comportamento de oportunismo, bajulação e interesse próprio.
Vem este meu desabafo inicial a propósito de uma manhã "perdida" a assistir a uma reunião do Conselho de Ilha de Santa Maria. Fui o único cidadão presente mas não estou desapontado por isso. Pior mesmo só a ausência de alguns conselheiros que assim deixam bem patente quais as suas prioridades. Ou melhor, deveres e obrigações senão.............. "outros pra dentro" que afinal tudo isso não passa de um jogo. O da cruzinha de quatro em quatro anos. Mas adiante que se faz tarde. 
Sobre a Saúde, exceto os episódios que acontecem esporadicamente mas que ao invés de serem denunciados utilizando os meios à disposição, são discutidos no café, redes sociais ou na casa do vizinho, "apenas" fiquei a saber que a administração da Unidade de Saúde de Ilha, em resposta à comunicação/preocupação do Conselho de Ilha, entende que 50% dos médicos é o número suficiente para fazer face às necessidades. Ora, eu não posso falar por ninguém nem mesmo por experiencia própria MAS se fosse médico e tivesse apenas um colega para assegurar a urgência (24h) e consulta externa, provavelmente, ao fim de alguns dias estaria a bater mal da pinha e a chamar Manuel à Maria ou Joaquina ao José. Isto se não fosse um sobredotado é claro. 
Quanto às deslocações - de médicos especialistas e utentes - injusto seria dizer que estamos pior. Atualmente deslocam-se a Santa Maria médicos na área de Pneumologia, Urologia, Oftalmologia, Nefrologia, Dermatologia e Ginecologia. É bom mas não o suficiente e quem afirmar o contrário está a tentar tapar o sol com a peneira e a mentir com quantos dentes tem na boca.
Pediatria? Otorrinolaringologia? Gastroenterologia? Cirurgia Vascular? Estas, não obstante a importância de outras, são especialidades que desde há muito tem (infelizmente) muitos utentes na nossa ilha. Existem pessoas que necessitam não só de uma consulta ou exame esporádico mas de acompanhamento e monotorização. E de quem é a culpa? Não. Não é deste ou daquele profissional de saúde. É sim de um Sistema Regional de Saúde (SRS) que veste calças curtas à demasiado tempo. No meu entender, a reestruturação deste é primordial para que TODOS nós tenhamos acesso condigno aos serviços de saúde. 
No que toca ao Turismo, em particular à promoção do destino Santa Maria as coisas não estão para sorrisos de orelha a orelha como nos querem fazer crer. 
Eu estava consciente que a taxa de ocupação dos nossos hotéis era inferior a 50% mas estava longe de pensar, por exemplo, que o Hotel Colombo registou, em Março e Abril, taxas de ocupação entre os 22% e 30% (menos do que o registado no período homólogo de 2015). Estava igualmente longe de imaginar que os dois hotéis juntos tem um prejuízo anual que ultrapassa os 150 mil euros ou que as reservas efetuadas até ao momento nas Marítimo Turísticas estão muito abaixo dos números registados o ano passado. Com isto não se julgue que não existem coisas positivas. Há. No entanto estão  também elas longe de serem as suficientes para colocar Santa Maria em linha ascendente no que ao fluxo turístico diz respeito. Ou pensavam os mais ingénuos que a implementação do programa "Meus Amores, Meus Açores" e/ou a formação do GRUPO SATA seriam suficientes para inverter este cenário?
Meus senhores, mais do que utilizar a verborreia costumeira que só serve para tentar fazer crer que são uns experts em matéria de promoção turística, é preciso passar da teoria à prática. 
Por exemplo, se realmente houvesse a vontade de promover as ilhas mais pequenas e menos desenvolvidas onde Santa Maria se insere, o valor de uma passagem aérea LIS-SMA-LIS NUNCA mas NUNCA poderia ser superior a uma LIS-PDL-LIS
Se realmente houvesse a intenção de potenciar o turismo em Santa Maria, a inclusão da nossa ilha na oferta de alguns operadores seria uma realidade e isto também não acontece.
Portanto, falem menos e trabalhem (efetivamente) MAIS !! 

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Praia Formosa entre as 382 praias que receberam a classificação "Qualidade de Ouro".



A Quercus listou este ano 382 praias com classificação Qualidade de Ouro, mais 68 do que em 2015, com o concelho de Albufeira a liderar, seguido de Vila Nova de Gaia e de Almada.

"Este ano, foram distinguidas 382 praias comQualidade de Ouro, 338 zonas balneares costeiras, 36 interiores e oito de transição", refere uma informação da Quercus.

Pela primeira vez, será hasteada oficialmente a Bandeira "Qualidade de Ouro" na praia da Formosa, na ilha de Santa Maria, Açores, acrescenta.

Do total de praias identificado pela Quercus, 321 praias situam-se em Portugal continental, 41 na região autónoma dos Açores e 20 na Madeira.

Este ano a lista tem mais 57 praias costeiras, 10 interiores e três de transição.

Na comparação com 2015, perdem o galardão duas praias fluviais e três costeiras, como as praias de D. Ana, em Lagos, e da Leirosa, na Figueira da Foz, devido à nova regra referente à "existência de eventuais atentados ambientais ou paisagísticos nas praias", explica a Quercus.

O concelho com maior número de praias com qualidade de ouro é Albufeira (22 zonas balneares), seguido de Vila Nova de Gaia (18), Almada (16), Torres Vedras e Vila do Bispo (12).

Entre as praias costeiras consideradas excelentes em Albufeira estão a de Arrifes, Castelo, Galé, Oura, Maria Luísa, Salgados ou Santa Eulália, enquanto no grupo das zonas balneares de Almada se encontram Castelo, Santo António, Fonte da Telha, Rainha, Rei, Riviera ou S. João da Caparica.

Já em Cascais, que tem 10 praias classificadas, foram escolhidas as do Abano, Avencas, Carcavelos, Guincho, S.Pedro do Estoril ou Tamariz, e em Grândola, com o mesmo número de excelentes, estão listadas Atlântica, Carvalhal, Comporta, Galé-Fontainhas, Melides ou três praias de Tróia - Bico das Lulas, Galé e Mar.

No concelho de Lagoa, a Quercus classificou nove praias, incluindo Carvalho e Sra da Rocha, em Loulé foram 10, como Ancão, Quarteira, Quinta do Lago e Vale de Lobo, e em Matosinhos nove zonas balneares, como Aterro, Leça da Palmeira, Pedras Brancas ou Senhora Boa Nova.

Torres Vedras tem 12 praias na lista, incluindo Amanhã (Santa Cruz), Formosa, Navio, Porto Novo ou Santa Helena, e Viana do Castelo tem nove, entre as quais Afife, Amorosa ou Carreço.

Entre as 12 classificações em Vila do Bispo estão a Boca do Rio, Burgau, Castelejo, Cordoama, Ingrina, Mareta ou Martinhal, e nas 18 de Vila Nova de Gaia encontram-se, entre outras, Francelos, Aguda, Madalena, Miramar ou Salgueiros.

No grupo de excelentes de águas interiores estão os concelhos de Arganil, Macedo de Cavaleiros, Pampilhosa da Serra, Tomar, Vila de Rei e Vinhais, todos com duas praias classificadas.

Esta distinção classifica as zonas balneares que apresentam melhores resultados em vários critérios, como qualidade da água "excelente" nas cinco últimas épocas balneares ou resultados melhores do que um valor indicativo da diretiva comunitária sobre esta matéria, para as bactérias esterococos intestinais e escherichia coli.

A avaliação efetuada pela Quercus baseia-se em dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e não inclui as águas balneares cuja classificação abranja menos de cinco anos, as que só recentemente tiveram os problemas de poluição resolvidos ou aquelas onde se tenha verificado, na última época balnear, uma análise de qualidade inferior à estabelecida como mínimo, explica a associação.
Texto: JN
Fotos 2 e 3: João Brandão (Gold IRIS)

terça-feira, 17 de maio de 2016

Pela freguesia de São Pedro....... !



Provavelmente este será um post que contraria o paradigma que se instalou em algumas mentes no entanto, como este espaço continua a ser meu e a coerência é algo de que não abdico, aqui fica o registo do trabalho (finalmente concluído) efetuado no caminho da Atafona - Freguesia de São Pedro. Agora sim, com excelentes condições de circulação. 

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Promoção Turística: Assim não !!

É com esta foto e o seguinte slogan que o município de Vila do Porto divulga o Moinho do Ginjal - que é privado - nas redes sociais:

"O Moinho de Vento do Ginjal recebe muitos visitantes durante todo o ano. Já visitou?"




Mas esta é a visão real e atual com que me deparo todos os dias !! Um Moinho do Ginjal em avançado estado de degradação e que, contrariamente ao que é divulgado, já não merece a atenção de outros tempos. 
Por outro lado, o Moinho de Vento da Carreira que foi adquirido e totalmente renovado pela autarquia tarda, do meu ponto de vista incompreensivelmente até, em ter um horário de funcionamento/visita que permita ao turista (e não só) incluir este ícone do patrimônio cultural de Santa Maria na sua agenda.  

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Tic...Tac....Tic...Tac........ !!



Certo dia, em sede própria, demonstrei preocupação relativamente ao estado da "pala" da piscina dos Anjos. Aliás, não sou o único a pensar que a mesma deveria ser removida ou reforçada atendendo às indicações que dá em matéria de cedência MAS.... o entendido na matéria não sou eu. 
Hoje, não lá mas aqui, deixo partilho estas imagens que me parecem ser bastante elucidativas quanto ao perigo iminente da fachada desta casa ruir e causar danos maiores.
Atendendo à classificação do imóvel (privado), notificar os proprietários será o procedimento correto no entanto, face ao estado avançado de degradação, caberia à autarquia zelar pela segurança da via pública e dos munícipes. 
Terei razão ou serei novamente aconselhado a fazer uma sesta por aqui dadas as garantias de segurança?  

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Câmara Municipal de Vila do Porto aposta em grande na promoção de Santa Maria.



Diz o velho ditado que "Água mole em pedra dura, tando bate até que fura".
Parece ter sido este o caso no que respeita à aposta da autarquia para promover e divulgar o destino "SANTA MARIA" em 2016. Certamente consciente que as campanhas passadas levaram mais (dinheiro) do que trouxeram (turistas), o Município de Vila do Porto subiu a fasquia, redirecionando grande parte dos seus recursos para uma publicação na revista de bordo de uma das duas LC que voam para os Açores. Assim, durante o período chamado de Verão IATA (27 de Março a 29 de Outubro) além dos conteúdos habituais que visam a promoção da Ilha, é facultada toda a informação relativa ao reencaminhamento gratuito.
Refira-se que esta não é a primeira vez que a Câmara Municipal de Vila do Porto aposta na divulgação a bordo de uma companhia aérea. Em 2010, foram estas as publicações a bordo da SATA. 

quinta-feira, 31 de março de 2016

É ano de eleições. Aleluia, Aleluia !


A Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional dos Assuntos do Mar, publicou em Jornal Oficial o aviso de concurso para a empreitada de proteção costeira do troço a norte do porto de pesca da Maia, na ilha de Santa Maria.

Esta obra, cujo valor base é de 484 mil euros, tem como objetivo impedir a erosão natural, devido à ação do mar, que se tem vindo a observar ao longo dos anos na orla costeira daquela zona da ilha de Santa Maria, pondo em risco a estrada regional e algumas habitações.

A intervenção a realizar consiste na construção de uma proteção marginal, numa extensão de aproximadamente 33 metros de largura, constituída por uma plataforma frontal de enrocamento no pé da falésia, protegida com enrocamento para fazer face à agitação marítima que incide naquele local.

O trecho de costa a intervencionar encontra-se integrado na Reserva Natural da Maia.

A intervenção, que integra a Carta Regional de Obras Públicas, tem um prazo de execução é de 150 dias.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Estrada dos Anjos: Para já acabou-se o Queijo Suiço.


Para já, até que a qualidade do sistema de abastecimento de água à lavoura (Governo Regional dos Açores ficou mal servido e quem tem assumido o papel de INEM é a autarquia mariense) que foi instalado aqui venha, novamente, ao de cima, é possível transitar normalmente na estrada que dá acesso ao Lugar dos Anjos uma vez que o piso nas zonas intervencionadas foi retificado.  

segunda-feira, 7 de março de 2016

Verão e Praia: Prazer para uns, dores de cabeça para outros.

Para variar, pese embora não publique fotos da Baía de São Lourenço - exemplo gritante e vergonhoso no que à falta de acessibilidades para pessoas com necessidades de assistência especial diz respeito - deixo outra sugestão que podia (e devia) muito bem ser considerada, por exemplo, na Praia Formosa. Quem precisa hoje, agradece, e quem não precisa nunca se sabe se um dia, pode vir a necessitar de atenção, consideração e acima de tudo RESPEITO.  

sábado, 5 de março de 2016

E neste caso?


Pese embora as imagens possam induzir em erro, o post de hoje não visa nenhum país do médio oriente e/ou terceiro mundista. Trata-se sim de uma estrada que nos últimos anos tem sido o principal motivo para um jogo do empurra que, a fazer sentido, só o é na cabeça de um ou dois pseudo instruídos. 
Também contrariamente ao que se possa julgar, este troço de estrada, caminho, acesso ou como o queiram apelidar e que tem início no lugar da Carreira (acesso ao pico do facho), não é terra de ninguém. Existem com toda a certeza, entidades às quais tem que ser atribuída a responsabilidade da sua requalificação. Isto de forma a que as pessoas possam chegar à sua casa de forma condigna sem equacionar a aquisição de um M-1A1 Abrams.
Em suma, se tivesse que ser parco em palavras, diria que este post é primo, filho de irmãos do anterior mas ao contrário. Perceberam ou querem que faça um desenho? 

terça-feira, 1 de março de 2016

Sabem o que chamo a isto?

Não fugir à responsabilidade............
Não interpretar a lei como convém.................
Não colocar os interesses instalados ou cor partidária acima do bem estar das pessoas!

O trabalho que está a ser levado a cabo pela Junta de Freguesia e Câmara Municipal de Vila do Porto no início do "caminho fundo" é digno de registo.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Promoção turística: Estratégia?

Não obstante o facto deste ser um assunto que me preocupa 365 dias ao ano, sempre que tenho oportunidade e acho pertinente dar voz ao que me vai na mente, faço-o. Não possuo licenciatura (sim, este é o primeiro grau acadêmico), mestrado ou doutoramento nesta área é certo no entanto, atendendo à recente alteração do Transporte Aéreo de Passageiros, julgo não ser imperioso que se tenha um QI acima da média para perceber onde devem centrar-se as ações promocionais e divulgação de Santa Maria.  A título de exemplo.....

Feira Internacional do Turismo.
Há um tempo atrás, por razões óbvias, comunguei da decisão da autarquia em não estar presente na BTL. Mas e agora? Tirando partido da regra do encaminhamento gratuito na SATA AIR AÇORES não deveria ser na origem (Lisboa/Porto) que a promoção/divulgação de Santa Maria devia ser feita? É que o turista depois de chegar a São Miguel, se quiser vir ver os Fósseis, percorrer os nossos trilhos ou desfrutar das nossas baías, vai ter que "arrotar", no minimo,  100 Euros. 

E os Mupis? Idem, idem, aspas, aspas !
Da mesma forma que decorreram os contactos necessários para a colocação destes na Ilha de São Miguel, que se faça o mesmo mas para Lisboa e Porto. É lá, NA ORIGEM, que tem que estar a informação. Mas lá está, esta é a simples e humilde visão de quem tem na lógica o seu único argumento. 

Revistas de bordo das Low-Cost?
Não seria uma boa aposta? Claro que sim.
Custos? Pergunte-se, sentem-se à mesa, redirecionem-se algumas verbas mas por favor, percebam que agora, com o novo modelo de transporte aéreo, a aposta tem OBRIGATORIAMENTE que passar por Porto e Lisboa.


E o Governo Regional dos Açores?
Sim. Em particular, através de uma entidade que dá pelo nome de Associação de Turismo dos Açores. Sim, AÇORES (9 Ilhas) e não São Miguel. Também por aqui haveria muito a fazer. A começar por exemplo com a criação de pacotes promocionais para as ilhas mais pequenas onde Santa Maria se inclui. A parceria que parece existir com alguns operadores turísticos não pode continuar a ser direcionada apenas para três ou quatro ilhas. 

A SATA e os voos "diretos" de/para LISBOA
Se no caso particular da retirada do voo de Quarta-Feira de manhã, os números serviram (também) para fundamentar a decisão, no caso do voos da SATA INTERNACIONAL, os dados estatísticos pouco importam ou pesam para que se tenham voos diretos (LIS/SMA/LIS) sem escala em São Miguel, durante os meses de Julho e Agosto. 

Em suma, tudo parece pesar para que seja cada vez mais difícil combater a sazonalidade. A sazonalidade e os grandes círculos eleitorais ................... É pena!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Se eu mandasse havia eleições todos os anos..........


Como que num ápice, parece ter surgido um "fundezito de maneio" para gastar em asfalto. Não sou contra. Pelo contrário. Até sou apologista que a retificação do piso deva acontecer logo após o términos das intervenções. Especialmente as que, compreensivelmente, podem ser classificadas do tipo "queijo suíço" e onde a estrada dos Anjos é disso um bom exemplo. 
Mas adiante. Este post serve apenas para constatar a retificação de que foi alvo parte do piso nas Ruas do Livramento e José Inácio de Andrade em Vila do Porto (Zona Histórica).
Assim, contrariamente ao que vinha a acontecer, a circulação de veículos e peões está agora normalizada.